Perdas de solo e água em área de nascente estratégica para o Sistema Cantareira, por Marco Antonio Ferreira Gomes e Lauro Charlet Pereira

PERDAS DE SOLO E ÁGUA EM ÁREA DE NASCENTE ESTRATÉGICA PARA O SISTEMA CANTAREIRA Marco Antonio Ferreira Gomes1 Lauro Charlet Pereira2   INTRODUÇÃO O uso e ocupação de áreas de alta declividade favorecem, quase sempre, perdas de solo por erosão que é uma das principais responsáveis pela degradação do solo, com prejuízos à produtividade agrícola e às atividades econômicas relacionadas à agricultura. Esta erosão é causada pela energia cinética da água da chuva gerada

Sistema Cantareira sofreu transição catastrófica em 2014

    As represas do sistema Cantareira sofreram uma transição catastrófica em janeiro de 2014, quando passaram rapidamente de condições normais para um estado de ineficiência. A avaliação é baseada em dados sobre os reservatórios, métodos estatísticos e modelagem matemática, e foi feita em estudo dos pesquisadores Paulo Inácio Prado, professor do Instituto de Biociências (IB) da USP, e Renato Mendes Coutinho e Roberto Krankel, da Universidade Estadual Paulista (Unesp). De acordo

Recuperação de pastos pode melhorar reservatórios do Sistema Cantareira, diz pesquisa

    Pesquisa da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) mostra que a existência de água no Sistema Cantareira depende diretamente da recuperação de áreas de pastagens no local. Segundo o autor da pesquisa, Oscar Sarcinelli, paisagens cobertas por vegetação têm maior capacidade de proteger o solo contra o impacto da chuva. “O objetivo da pesquisa foi analisar medidas direcionadas à conservação da água na região do Sistema Cantareira”, explicou Sarcinelli. “Há várias propostas: recuperar

Falta de chuvas não é única razão da crise do Sistema Cantareira

Atual situação é um problema de governança, acentuado por questões climáticas e pela realidade socioambiental     Pesquisa da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP, em Piracicaba, avaliou, entre 2013 e 2014, a governança e o diálogo de saberes que envolvem o Sistema Cantareira, que capta e trata a água para o abastecimento de cerca de 8,8 milhões de pessoas da Grande São Paulo. O estudo de Micheli Kowalczuk

Agência reguladora limita retirada de água do Sistema Cantareira

    O limite de retirada de água do Sistema Cantareira para janeiro deste ano é 22,9 milhões de m³, de acordo com comunicado conjunto da Agência Nacional de Águas (ANA) e do Departamento de Águas e Energia Elétrica de São Paulo (DAEE). A meta é que 47,6 milhões de m³ sejam preservados no sistema. O documento foi encaminhado aos presidentes da Companhia Estadual de Saneamento Básico (Sabesp), Jerson Kelman, e dos Comitês

Geólogos estudam meio de usar Aquífero Guarani para aliviar crise do Sistema Cantareira

    Geólogos da Universidade de São Paulo (USP) elaboram um estudo para saber se é possível retirar água do Aquífero Guarani para abastecer a região de Piracicaba, aliviando o Sistema Cantareira. A proposta é analisar a viabilidade da construção de 24 poços artesianos no município de Itirapina, região oeste do estado, onde o aquífero pode ser acessado de forma rasa. A análise será apresentada, em aproximadamente um mês, ao comitê criado

Justiça proíbe uso da segunda parcela do volume morto no Sistema Cantareira

    Decisão atende a pedido do MPF e do MP-SP; juiz determina também que vazão de retirada de água dos reservatórios seja revista A Justiça Federal em Piracicaba determinou que os órgãos gestores do Sistema Cantareira revejam as vazões de retirada de água e proibiu a captação da segunda parcela do volume morto nos reservatórios. A decisão atende a um pedido de liminar do Ministério Público Federal e do Ministério Público do

Nível do Sistema Cantareira cai para 5,5% e Sabesp estuda reduzir vazão

    O superintendente de Produção de Águas da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), Marco Antonio Lopez Barros, admitiu que estuda reduzir a vazão do Sistema Cantareira. Os ministérios públicos Estadual e Federal já ajuizaram ação civil pública pedindo que o uso da água do Cantareira seja restringido. De acordo com a Sabesp, a redução da vazão pode integrar o plano de contingência exigido pelo Departamento de Águas

Sabesp deveria ter diminuído captação do Sistema Cantareira, diz Ministério Público

    A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) deveria ter diminuído a vazão captada do Sistema Cantareira, segundo o Ministério Público de São Paulo (MP). O órgão ingressou com uma ação na 3ª Vara da Justiça Federal, em Piracicaba, solicitando que o governo paulista faça um replanejamento do uso do manancial. “A ação [do MP] tem o objetivo de prolongar o volume armazenado no Sistema Cantareira, segundo

A partir de outubro, São Paulo ficará ao menos seis meses com o Sistema Cantareira seco, prevê engenheiro

  A falta de chuva diminuiu o volume de água do Sistema Cantareira, que abastece São Paulo. Foto: Sabesp/Divulgação/ABr   Para conselheiro da Fiesp, Júlio Cerqueira César Neto, não há outra solução, do ponto de vista técnico, que não seja o racionamento de água para enfrentar a crise do Sistema Cantareira São Paulo vai chegar à primeira semana de outubro com o Sistema Cantareira seco, sem volume morte, quantidade de água localizada em uma

ANA tem preocupação com riscos ambientais de usar volume morto do Sistema Cantareira

  A falta de chuva diminuiu o volume de água do Sistema Cantareira, que abastece São Paulo. Foto: Sabesp/Divulgação   O superintendente de Regulação da Agência Nacional de Águas (ANA), Rodrigo Flecha, manifestou ontem (10) preocupação com os riscos ambientais de se usar o volume morto do Sistema Cantareira, pois não há conhecimento sobre os sedimentos que estão ali depositados. Volume morto é a parte do reservatório que não é alcançada atualmente pelas

Agência Nacional de Águas (ANA) defende medidas restritivas para o Sistema Cantareira

  Cantareira. Foto BBC/Reuters   O diretor-presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), Vicente Andreu Guillo, defendeu ontem (3) medidas restritivas para o Sistema Cantareira, pois, segundo ele, não há solução técnica de engenharia possível no curto prazo para resolver o problema de abastecimento da região metropolitana de São Paulo e da Bacia do Rio Piracicaba, que abastece a região de Campinas. “Os dirigentes [da região] têm que tomar medidas preventivas, pois são necessárias

Top