A face mais evidenciada das questões ambientais, artigo de Roberto Naime

  Questões Ambientais - Cada vez mais se desenvolvem concepções colaborativas entre a cidadania, para desenvolver soluções autônomas     [EcoDebate] Por muito tempo a questão ambiental era mais percebida e evidenciada a partir da acumulação de resíduos sólidos. Para o bem e para o mal, as dificuldades na disponibilização de água e no preenchimento de reservatórios de barragens com água, para geração energética, acabou deslocando o eixo de sensibilização para a questão da

Metais pesados e suas toxidades, artigo de Roberto Naime

    Os metais pesados diferem de outros agentes tóxicos porque não são sintetizados nem destruídos pelo homem [EcoDebate] A primeira lembrança que se materializa quando se fala em metais é a visão da tabela periódica dos elementos químicos, inicialmente desenvolvida pelo russo Gregor Mendeleiev. Metais integram a tabela periódica dos elementos químicos e talvez sejam os agentes tóxicos mais conhecidos pelo homem. Já em antigas eras, grandes quantidades de chumbo eram obtidas de

Sinergia ambiental, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] Sinergia ou sinergismo provém do grego “syn” que é "união" ou "junção" e “ergía” que é "unidade de trabalho". É definido como o efeito ativo e retroativo do trabalho ou esforço coordenado de vários subsistemas na realização de uma tarefa complexa ou função, onde ambos sofrem ampliação de sua funcionalidade pela ação conjunta. Quando se tem a associação concomitante de vários dispositivos executores de determinadas funções que contribuem para uma

Epistemologia ambiental, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] Epistemologia vem do grego “episteme” que é conhecimento científico, e ciência ou “logos”, que é discurso ou estudo. É o ramo da filosofia que trata da natureza, etapas e limites do conhecimento humano, especialmente nas relações que se estabelecem entre o sujeito e o objeto do conhecimento. Nesse sentido, pode ser também chamada teoria do conhecimento ou “gnosiologia”. Em sentido mais restrito, refere-se às condições sob as quais se pode

Autopoiese, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] Já acostumamos ao discurso ambientalista generalizado pela mídia e pela consciência coletiva. Mas importa reconhecer que restringir a ecologia ao ambientalismo é incidir em grave reducionismo. Não basta uma produção de baixo carbono, mas mantendo a mesma atitude de exploração irresponsável dos bens e serviços da natureza. Seria como lixar os dentes de um lobo com a ilusão de tirar a ferocidade dele. Sua ferocidade reside em sua natureza e

Relevos ruiniformes, artigo de Roberto Naime

  Relevos ruiniformes é a denominação atribuída nas ciências da terra, para paisagens com aspectos que lembram ruínas abandonadas.   [EcoDebate] A gênese destas conformações está intimamente associada à erosão causada pelos ventos, principalmente em rochas sedimentares psamíticas, ou por erosão pluvial em rochas sedimentares de origem em precipitados químicos. O exemplo mais notável de formação ruiniforme são os arenitos esculpidos pelos ventos, em variadas formas, se destacando “a torre” no parque de Vila

Diferenças entre ecologia e meio ambiente, artigo de Roberto Naime

    Ecologia e Meio Ambiente [EcoDebate] A crise ambiental causada pelas atividades humanas, que vêm gerando muitas consequências caracterizadas como problemáticas, tais como gestão de quantitativos cada vez mais expressivo de resíduos sólidos, saneamento ambiental, ocorrências de desmatamento, escassez de obenção de recursos hídricos e outras efemérides. As expressões como ecologia e meio ambiente em alguns casos são utilizadas de forma similar entre as pessoas e não ocorre determinar variações semânticas e de

Série de Artigos – ‘Expertise’ e governança ambiental, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] LÉTORNEAU (2014) assevera que muitos termos possuem um sentido técnico sem que ele seja evidente para todos como a “governança ambiental”. Termo que remete no contexto atual a uma participação cidadã nesse tipo de questão, por exemplo, da saúde de um ecossistema específico, tal como uma floresta ou um vale agrícola, a partir de preocupações partilhadas e não a partir de uma problemática de controle organizacional. Governança transcende a assistencialismo social.

‘Expertise’ e governança ambiental, Parte 6/6 (Final), artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] LÉTORNEAU (2014) considera o caso das previsões que se quereriam adequadas para preparar uma "adaptação" às mudanças climáticas. Nesta situação, não basta consultar climatologistas, também serão necessários economistas, especialistas em relações internacionais e especialistas da comunicação, sem esquecer os “experts” em construção de edifícios ao abrigo dos acasos ambientais, em logística para facilitar o trabalho no caso de evacuação, incêndio ou deslizamento de terreno. Estas questões estão nas mãos de um

‘Expertise’ e governança ambiental, Parte 5/6, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] LÉTORNEAU (2014) evidencia que estes debates que dizem respeito à água, à energia, à floresta, à pesca, aos ecossistemas, são, cada vez mais, complexos e difíceis de dominar. Os recursos à expertise são disseminados tanto entre os gestores como junto ao grande público que são as pessoas que desejam manter-se atualizadas e, se possível, participar da discussão (LÉTOURNEAU, 2012). Se um interesse pelas questões ambientais é algo importante para uma pessoa,

‘Expertise’ e governança ambiental, Parte 4/6, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] LÉTORNEAU (2014) destaca que falar de "governança" não remete de maneira evidente às mesmas coisas para todas as pessoas, mesmo quando muito instruídos. O termo "governança" é utilizado com diversos sentidos e se percebe que esses diversos sentidos estão de fato ligados à pluralidade de comunidades de usuários. Há um uso geral que remete simplesmente ao fato de governar de uma maneira determinada. É possível fazer referência à velha palavra

‘Expertise’ e governança ambiental, Parte 3/6, artigo de Roberto Naime

    Governança Ambiental [EcoDebate] LÉTORNEAU (2014) manifesta que a inteligibilidade dos discursos especializados e de seus saberes e métodos é limitada para terceiros, pois o pleno sentido do discurso qualificado do especialista somente é acessível dentro de um círculo fechado, mesmo quando seus resultados pretendam-se comunicáveis a ponto de permitir informar as decisões. Terminologias especializadas são exigidas por todas as “expertise”, elas são em alguma medida "caixas pretas" cujo mecanismo é desconhecido pelos

Top