BRICS ultrapassam a OCDE em emissões de CO2, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“No ano de 2078 eu farei 75 anos. Se eu tiver filhos, talvez eles passem o dia comigo. Talvez eles me perguntem sobre vocês. Talvez me perguntem por que vocês não fizeram nada enquanto ainda havia tempo para agir” Greta Thunberg [EcoDebate] O mundo vive uma emergência climática devido ao aumento imemorial da temperatura do Planeta. A temperatura média da Terra, se nada for feito urgentemente, caminha rumo ao maior valor em

A 6ª extinção das espécies é na verdade o 1º evento de extermínio em massa, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “Meu desejo é um pouco mais de respeito para o mundo que começou sem o ser humano e vai terminar sem ele” Claude Lévi-Strauss     [EcoDebate] O mundo já teve cinco extinções em massa das espécies terrestres, todas elas causadas por fenômenos naturais, como a queda do asteroide que provocou, além da morte de milhões de seres, a extinção dos magníficos dinossauros, há cerca de 66 milhões de anos. Atualmente, a Terra está na iminência

A Terra teria déficit ambiental global mesmo sem os ricos, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  [EcoDebate] A economia é um subsistema da ecologia. Desta forma, a Pegada Ecológica gerada pela economia não pode ser maior do que a biocapacidade fornecida pela ecologia. Para manter a sustentabilidade e garantir o adequado padrão de vida da humanidade, sem degradar as condições ambientais, a Pegada Ecológica, no longo prazo, não pode ser maior do que a Biocapacidade do Planeta. Assim, é insustentável manter o crescimento da produção e

Declaração de apoio dos cientistas ao movimento ‘Rebelião ou Extinção’, por José Eustáquio Diniz Alves

"Estamos em um carro gigante, acelerando na direção de uma parede de tijolos e todo mundo fica discutindo sobre onde cada um vai sentar" (David Suzuki) [EcoDebate] O mundo vive uma emergência climática e ecológica. Nunca, no Holoceno (últimos 12 mil anos), a humanidade enfrentou uma ameaça global tão significativa. E o pior é que a ameaça existencial atual é provoca pelo estilo de vida e as formas de produção e consumo predominantes

Para garantir a sustentabilidade ecológica não basta a redução do consumo, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“Precisamos pegadas menores, mas também precisamos de menos pés”. (Enough is Enough, 2010) [EcoDebate] A humanidade já ultrapassou a capacidade de carga da Terra. O aumento das atividades antrópicas excedeu a resiliência do Planeta. A pegada ecológica superou os limites da biocapacidade. A presença humana no mundo está sufocando os ecossistemas e provocando um colapso na vida selvagem. Portanto, é preciso reduzir o volume das atividades econômicas para possibilitar a restauração da

Qual é o real tamanho da pobreza no mundo? artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  [EcoDebate] Existem várias maneiras de medir a pobreza no mundo. Utilizar somente a renda como parâmetro é uma metodologia muito simples, embora seja muito utilizada. Outra alternativa é olhar para a pobreza multidimensional que considera variáveis como educação, moradia, esperança de vida, etc. Um dos gráficos mais divulgados para demonstrar a redução da extrema pobreza no mundo – na ótica da renda - é este abaixo do site “Our World in

Os países pobres e de renda média lideram a emissão global de CO2 no século XXI, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

[EcoDebate] O mundo vive uma emergência climática. A temperatura da Terra já subiu mais de 1º C desde o início da Revolução Industrial e o ritmo do aquecimento global tem se acelerado. Uma temperatura de 1,5º C acima do nível médio do século passado pode ser atingida na década de 2030 e a marca de 2º C (prevista como limite máximo do Acordo de Paris) pode ser atingida até meados

Relatório do IPCC sobre a degradação dos oceanos e da criosfera, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), divulgou, no dia 25 de setembro de 2019, um novo relatório que analisa e sintetiza as descobertas científicas mais recentes sobre a crise climática, os oceanos e a criosfera (superfície terrestre coberta permanentemente por gelo e neve). O relatório contou com a coordenação de mais de 100 especialistas de 30 países e foi estruturado para apresentar os diversos cenários sobre como o

Índice Global da Fome, crescimento populacional e desperdício de alimentos, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “Gente é pra brilhar, não pra morrer de fome” Caetano Veloso   [EcoDebate] O Dia Mundial da Alimentação acontece em 16 de outubro de cada ano e é uma oportunidade para se avaliar os dados sobre o estado da segurança alimentar das pessoas e para a busca de soluções para superar o flagelo da fome e da desnutrição. Os Institutos Welthungerhilfe e Concern Worldwide divulgaram neste mês de outubro o Índice Global da Fome

Relatório do IPCC sobre clima, população e fome no mundo, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“Para satisfazer a gula de poucos e matar a fome de muitos, destrói-se a vida no Planeta” J.E.D. Alves (12/08/2019) [EcoDebate] O Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), da ONU, publicou o relatório “Climate Change and Land”, no dia 08 de agosto de 2019, onde aborda a relação entre o uso da terra e seus efeitos sobre a mudança climática. O relatório, que não apresentou escassez de notícias ruins, foi resultado de

‘BirthStrike’ e ‘NoFutureNoChildren’: greve de nascimento e emergência climática, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“Não tive filhos, não transmiti a nenhuma criatura o legado de nossa miséria” Machado de Assis (Memórias póstumas de Brás Cubas) [EcoDebate] “Filhos? Melhor não tê-los!”. Assim começa o Poema Enjoadinho de Vinicius de Moraes. Mas numa época em que a taxa de fecundidade era alta e existia uma ideologia pronatalista e familista muito forte no Brasil, o poeta completou: “Mas se não os temos, Como sabê-los?”. Agora no século XXI, diante de

92% da população mundial de 2100 ainda não nasceu, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“Os olhos de todas as gerações futuras estão sobre vocês. E se vocês optarem pelo fracasso, eu digo que nunca iremos perdoá-los” Greta Thunberg (Nova York, 23/09/2019) [EcoDebate] O mundo caminha para uma Terra cada vez mais inóspita e inabitável. O colapso ambiental já se vislumbra no horizonte. Porém, os governos, a iniciativa privada e inúmeros políticos de diversas orientações ideológicas continuam ignorando a catástrofe ecológica que se avizinha. O cenário climático

Top